Home / slide / Coordenadora de epidemiologia confirma surto de Hepatite “A” no município de Bodocó

Coordenadora de epidemiologia confirma surto de Hepatite “A” no município de Bodocó

Blog do Bruno Morais ModeloNa manhã de terça-feira (16), a Coordenadora de Epidemias da Secretaria Municipal de Saúde de Bodocó, confirmou um surto de hepatite “A” no interior do município. Seis secretarias do governo municipal já estão no Distrito de Feitoria, distante 42 quilômetros da sede do município, promovendo ações preventivas e de fiscalização para o controle da epidemia. Segundo relatou a Senhora Maria Lislene Rodrigues, Coordenadora de Epidemiologia do município, seis pessoas entre adultos e crianças já foram infectadas pela doença e outros dez casos suspeitos estão sendo analisados.

A doença é transmitida pela água, seja por meio de ingestão oral ou por contágio com coliformes fecais. Outra forma de contaminação é pela ingestão de alguns alimentos, como frutos do mar. No caso de Bodocó, uma das hipóteses levantada por moradores da comunidade é que o surto tenha sido provocado pela falta de higiene e contaminação da água fornecida por uma fonte natural, não sendo ainda confirmado pela secretaria de saúde.

Alguns moradores da localidade ouvidos pela nossa reportagem informaram que consomem água diretamente das fontes naturais e carros-pipa, sem passar por qualquer tipo de tratamento.

A senhora Lislene informou ainda que providências estão sendo tomadas no tocante ao combate a doença com um grande mutirão na comunidade afetada, com palestras preventivas nas escolas, visitas de agentes de saúde nas residências e distribuição de cloro a população para ser aplicado na água, dentre outras ações de combate e prevenção. A Hepatite “A” tem cura, mas ninguém quer ser infectado.

SINTOMAS:

Náusea, febre, falta de apetite, fadiga, diarreia e icterícia são os sintomas mais comuns que, consoante a reação do organismo, podem manifestar-se durante um mês. Os sintomas também variam consoante a idade em que há contacto com o VHA: apenas cinco a dez por cento das crianças infectadas apresentam sintomas, nas pessoas idosas a doença pode tomar formas mais graves. Mas 90 por cento dos casos de hepatite A aguda são assintomáticos.

De início, a doença pode ser confundida com uma gripe, uma vez que esta também provoca febre alta, dores musculares e articulares, dores de cabeça e inflamação dos olhos, mas normalmente, as dúvidas desfazem-se quando a pele e os olhos ficam amarelados, sinal de que o fígado não consegue remover a bilirrubina e esta entra na corrente sanguínea, ou seja, o órgão inflamado não consegue retirar a bilirrubina do sangue. Inicialmente, pode confundir-se com qualquer outra hepatite provocada por vírus, se bem que o número de casos em que a icterícia não se manifesta seja maior.

Outros sintomas possíveis, após a primeira manifestação da doença que se traduz na falta de apetite, vômitos, febre e num mal-estar geral, são o aparecimento de pigmentos biliares na urina, a falta de secreção biliar, dor na barriga, aumento do volume do fígado e, nalguns casos, o baço pode também aumentar de volume.

Reportagem: Nilson Macedo

Deixe uma resposta

Topo